Receba nossas notícias em seu e-mail:

Uso do Vale-Cultura será fomentado nos pequenos negócios

Compartilhe essa notícia

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Presidente do Sebrae, José Henrique Sousa, e Secretário de Cultura, José Paulo Martins, definem estratégias para motivar o uso do Vale-Cultura pelas micro e pequenas empresas.

Consumir cultura e, consequentemente, fomentar o mercado da economia criativa é um dos objetivos do acordo do Sebrae com a Cultura.

A parceria foi assinada ano passado com o então Ministério da Cultura (MinC), hoje, incorporado ao Ministério da Cidadania.

O Acordo prevê cinco frentes de trabalho: gestão do conhecimento, impactos econômicos, gestão empresarial, promoção de empreendimentos e do Vale-Cultura.

“Temos um universo considerável de micro e pequenas empresas que atuam no segmento cultural. Estamos falando de pelo menos 234 mil empresas gerando empregos e disseminando o nosso patrimônio cultural. Agora, precisamos motivar o consumo desses negócios”, afirma o presidente do Sebrae, João Henrique Sousa.

O programa de Cultura do Trabalhador (Vale-Cultura) tem o objetivo de garantir acesso e incentivo aos programas culturais brasileiros.

“Com o auxílio de R$ 50 reais, os funcionários das empresas que participam têm oportunidade de ir ao cinema, museus, espetáculos, teatros, shows e até mesmo comprar e alugar livros, CD, revistas e jornais”, explica o secretário de Fomento e Incentivo à Cultura, José Paulo Martins.

A ideia é motivar também a participação dos pequenos negócios no programa. Para isso, o Sebrae irá implementar uma ação de divulgação direcionada às MPE.

“Nossa ideia é que, por um lado, as pequenas empresas passem a fazer parte do Vale beneficiando os seus funcionários, mas também, que as MPE deste ramo também aceitem o Vale, assim, todos saem ganhando”, destacou o presidente do Sebrae.

Vale-Cultura pode ser utilizado em todos os estabelecimentos credenciados, além disso pode ser utilizado na compra de instrumentos musicais ou programas culturais com um valor mais elevado, já que o crédito é cumulativo.

Fonte: Sebrae

 

Deixe um comentário