Receba nossas notícias em seu e-mail:

Santa Catarina é o estado com segunda maior geração de empregos em novembro

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Carteira-de-Trabalho
Foram criadas 4.995 vagas de trabalho no estado
Santa Catarina aparece em segundo lugar no ranking dos estados que mais criaram vagas de empregos formais em novembro. O estado teve saldo positivo de 4.995 empregos, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados nesta quarta-feira (27) pelo Ministério do Trabalho.
O saldo positivo foi gerado pela diferença entre 73.038 contratações e 68.043 demissões, representando um crescimento de 0,25% em relação ao mês de outubro. O resultado foi motivado pela expansão do Comércio (+5.090 postos), Serviços (+1.592 postos) e Agropecuária (+908 postos).
Desempenho regional – No recorte geográfico, as regiões Sul e Nordeste apresentaram crescimento do nível de emprego em novembro. O Sul novamente foi destaque, com 15.181 postos de trabalho, com saldo positivo de 0,21% e o Nordeste com 3.758 vagas (+0,06%). As demais regiões registraram saldo negativo de vagas Sudeste, com -16.421postos, o que corresponde a -0,08%; Centro Oeste, com -14.412 postos (-0,45%); e Norte, com -398 postos (-0,02%).
Dados nacionais – O Brasil registrou resultado negativo de empregos em novembro, com uma redução de 12.292 vagas, o equivalente à variação negativa de 0,03% em relação ao estoque do mês anterior. Segundo o Caged, foram registradas 1.111.798 admissões e 1.124.090 demissões no mês passado.
“Esse saldo negativo não significa uma interrupção do processo de retomada do crescimento econômico do país”, destaca o ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira.
O saldo negativo de novembro é o menor para o mês nos últimos dois anos. Em novembro de 2015 e em novembro de 2016 foram registrados, respectivamente, saldos de -130.629 e -116.747.
O ministro Ronaldo Nogueira lembra que, com a modernização da legislação trabalhista, o Brasil tem potencial para gerar dois milhões de novas vagas nos próximos dois anos.
Fonte: Assessoria de Imprensa / Ministério do Trabalho