MPT lança Observatório da Diversidade e da Igualdade de Oportunidade

A média salarial de homens empregados no setor formal no Brasil é de R$ 3,2 mil por mês, e das mulheres cerca de R$ 2,7 mil. A diferença é ainda maior para mulheres negras, que recebem praticamente a metade do rendimento dos homens brancos.

Dados como esse estão disponíveis no Observatório da Diversidade e da Igualdade de Oportunidade, lançado esta semana pelo Ministério Público do Trabalho, com apoio da Organização Internacional do Trabalho (OIT). A procuradora Valdirene Assis, coordenadora da iniciativa, diz que o objetivo é estimular as empresas a alterar as estruturas internas discriminatórias e racistas.

“Os processos [seletivos] vão importar na progressão da carreira das pessoas que já estão contratadas. Conhecer os dados nos permite enxergar então que medidas a empresa pode adotar para incrementar a diversidade no seu quadro funcional”, analisa a procuradora.

Estudos das Nações Unidas mostram que empresas que promovem a igualdade tem uma probabilidade 32% maior de serem mais lucrativas. A diversidade contribui para que novos produtos e serviços sejam lançados, em sintonia com a expectativa e necessidade de diversos públicos.

Certificacao Master Trabalhista

A figurinista Nina Maria Fonseca mora e trabalha em São Paulo. Ela atua na área de cinema e observa um aumento na procura por profissionais negros. Mas o racismo nas relações de trabalho persiste.

Certificacao Master Trabalhista

“Recentemente eu fui contratada por uma diretora que gostaria muito que tivesse uma figurinista negra. Claramente, eu além de receber menos tinha um tratamento diferente, fui muito julgada, e um sofrimento desnecessário”, relata Nina.

Para conhecer o Observatório da Diversidade e da Igualdade de Oportunidade no Trabalho, basta acessar o site smartlabbr.org. A plataforma foi totalmente desenvolvida em código aberto e está disponível para download.

Fonte: Agência Brasil

SAIBA COMO CONTRATAR MÃO DE OBRA TEMPORÁRIA SEM COMPLICAÇÃO, ECONOMIZANDO ATÉ 30% DO QUE GASTARIA SEM ESSA INFORMAÇÃO!

Empregar mão de obra temporária é uma tarefa que já faz parte da agenda anual de muitos profissionais de RH, DP, Escritórios Contábeis e Consultores.

Mas desde 2017 a Lei de Mão de Obra Temporária sofreu alterações e muitas empresas ainda não conseguiram adequar-se à essa realidade.

Como resultado, estão cometendo inúmeros erros, descumprindo a legislação e correndo o sério risco de ser autuado pela Secretaria Especial de Previdência e Trabalho (extinto Ministério do Trabalho) e pela Justiça Trabalhista, sem ao menos saber disso!

Mas agora é possível conhecer o caminho mais seguro e fácil para dominar esse assunto. Sem cometer falhas!

Acha que é impossível? Porque essa é a nossa missão aqui!

Clique aqui e garanta sua vaga no Curso Gestão de Mão de Obra Temporária – Lei 6.019/74, o guia mais completo, seguro e prático para dominar a legislação e as exigências do contrato temporário!

O Professor José Ramos Junior é profissional de Recursos Humanos com sólida experiência em Administração de Pessoal e Relações Trabalhistas com conhecimento em toda a rotina da área e ocupando cargos de liderança. Especialista em eSocial pela Nith Treinamentos. Tem experiência de anos na área de Administração de Pessoal, Auditoria Trabalhista e Remuneração. Professor e Palestrante em instituições de ensino Superior. Sócio Diretor da Kairós RH, consultoria em Recursos Humanos e Empresa de Mão de Obra Temporária e Terceirização de Serviços.

Publique seu artigo

Marileisa Gonçalves

Há 8 anos na área de departamento pessoal, atua como Analista de Conteúdo na Nith Treinamentos. Marileisa é Bacharel em Administração pela Univali e Especialista em eSocial pela Nith Treinamentos. Apaixonada por compartilhar conhecimentos e informações sobre a área trabalhista, dedica seu tempo em procurar o que há de mais novo para te entregar em primeira mão.

Deixe uma resposta

Fechar Menu