Entenda algumas particularidades dos Empregados Domésticos

Os empregados domésticos tiveram seus direitos trabalhistas e previdenciárias ampliados através da Emenda Constitucional nº 72/2013. Em 2015, foi aprovada a Lei Complementar nº 150, que regulamenta esses direitos e dispõe sobre o contrato de trabalho doméstico em geral.

E qual o conceito de “empregado doméstico”?

É aquele que presta serviços de forma contínua, subordinada, onerosa e pessoal e de finalidade não lucrativa à pessoa ou à família, no âmbito residencial destas, por mais de 2 dias por semana. Logo, se esse empregado presta os seus serviços 1 ou 2 vezes na semana, não caracteriza vínculo de emprego doméstico.

Além das peculiaridades do trabalho doméstico, importante saber que a esses empregados também se aplicam:

É vedada a contratação de menor de 18 anos para desempenho de trabalho doméstico, de acordo com a Convenção no 182/1999, da Organização Internacional do Trabalho (OIT) e com o Decreto no 6.481/2008.

eSocial

Professor SA

Jornada de Trabalho

A duração normal do trabalho doméstico não excederá 8 horas diárias e 44 semanais. A remuneração da hora extraordinária será, no mínimo, 50% superior ao valor da hora normal.

Quando não houver compensação de trabalho prestado em domingos e feriados, deve ser pago em dobro, sem prejuízo da remuneração relativa ao repouso semanal.

E quando o empregado mora no local de trabalho? Nesse caso, os intervalos, o tempo de repouso, as horas não trabalhadas, os feriados e os domingos livres não serão computados como horário de trabalho.

É obrigatório o registro do horário de trabalho do empregado doméstico por qualquer meio manual, mecânico ou eletrônico, desde que idôneo.

A concessão de intervalo para repouso ou alimentação é obrigatória pelo período de, no mínimo, 1 hora e, no máximo, 2 horas.

Caso o empregado resida no local de trabalho, o período de intervalo poderá ser desmembrado em 2 períodos, desde que cada um deles tenha, no mínimo, 1 hora, até o limite de 4 horas ao dia.

Entre duas jornadas de trabalho deve haver período mínimo de 11 horas consecutivas para descanso.

É devido ao empregado doméstico descanso semanal remunerado de, no mínimo, 24 horas consecutivas, preferencialmente aos domingos, além de descanso remunerado em feriados.

Quando o empregado acompanha o empregador prestando serviços em viagem, serão consideradas apenas as horas efetivamente trabalhadas no período, podendo ser compensadas as horas extraordinárias em outro dia.

Para que o empregado acompanhe o empregador em viagem deve haver acordo por escrito entre as partes previamente. A remuneração do serviço em viagem será, no mínimo, 25% superior ao valor do salário hora normal.

Férias

O empregado doméstico terá direito a férias anuais remuneradas de 30 dias, salvo quando contrato em regime de tempo parcial, com acréscimo de, pelo menos, um terço do salário normal, após cada período de 12 (doze) meses de trabalho prestado à mesma pessoa ou família.

Na extinção do contrato de trabalho, o empregado, desde que não tenha sido demitido por justa causa, terá direito à remuneração relativa ao período incompleto de férias, na proporção de um doze avos por mês de serviço ou fração superior a 14 dias.

O período de férias poderá, a critério do empregador, ser fracionado em até dois períodos, sendo um deles de, no mínimo, 14 dias corridos.

É facultado ao empregado doméstico converter um terço do período de férias a que tiver direito em abono pecuniário, no valor da remuneração que lhe seria devida nos dias correspondentes.

O abono de férias deverá ser requerido até 30 dias antes do término do período aquisitivo.

É lícito ao empregado que reside no local de trabalho nele permanecer durante as férias.

As férias serão concedidas pelo empregador nos 12 meses subsequentes à data em que o empregado tiver adquirido o direito.

Fundo de Garantia por Tempo de Serviço – FGTS

Com a LC 150/2015, passou a ser devido o recolhimento de FGTS para os empregados domésticos, a partir de outubro/2015.

O empregador doméstico, através do pagamento da guia DAE – Documento de Arrecadação do eSocial – deposita a importância de 8% mensalmente na conta de FGTS vinculada ao empregado. Ainda, na mesma guia, deposita 3,2% sobre a remuneração devida, destinada ao pagamento da indenização compensatória da perda do emprego, sem justa causa ou por culpa do empregador, não se aplicando ao empregado doméstico a multa de 40% do FGTS.

Empregada Doméstica Gestante

A empregada doméstica gestante tem direito a licença-maternidade de 120 dias, sem prejuízo do emprego e do salário.

A confirmação do estado de gravidez durante o curso do contrato de trabalho, ainda que durante o prazo do aviso prévio trabalhado ou indenizado, garante à empregada gestante a estabilidade provisória por todo o período da gestação mais 5 meses após o parto.

Gostou das dicas?

Abraços,

Iris Caroline de Souza – Analista de Treinamentos e Professora na Nith.

Fica autorizada a publicação e o compartilhamento desde que citadas autora e fonte: www.zenaide.com.br 

Já pensou em ganhar uma renda extra? Tenho uma dica para você.

O Brasil é um dos países com maior número de empregados domésticos do mundo.

E, desde 2015, o governo definiu que todos esses empregados e empregadores devem estar registrados em um sistema único, que poucas pessoas conhecem e dominam.

Esse sistema é o que chamamos de eSocial.

Só que essas mudanças e obrigatoriedades pegaram muita gente de surpresa. E há vários profissionais de DP, contabilidade, e áreas afins, que ainda não dominam o eSocial doméstico e não conseguem aplicar isso da forma correta no seu dia a dia.

Para eles, o eSocial doméstico se tornou um verdadeiro desafio.

Mas, para outros, uma real oportunidade…

…. Porque essa é uma grande chance para buscar conhecimento e se destacar em uma área onde há muita demanda, mas pouca gente qualificada para atuar.

E, se você está motivado a alavancar sua carreira e transformar o seu conhecimento em oportunidade, eu sei qual é o próximo passo que você precisa dar…

Clique aqui e garanta sua vaga no Curso Como Ganhar uma Renda Extra Fazendo eSocial dos Empregados Domésticos, e esteja preparado para atender esse nicho de mercado e garantir mais uma renda mensal.

Elaborado pela Professora Iris Caroline, especialista em eSocial Doméstico desde 2016.

Iris Caroline e Silva de Souza

Contadora formada pela UFSC Atuou como Encarregada de Departamento Pessoal em escritórios contábeis Atua com eSocial Doméstico desde a implantação Coordenadora Pedagógica e Professora Parceira na Nith Treinamentos.

Deixe uma resposta

Fechar Menu