Receba nossas notícias em seu e-mail:

DVA – Como elaborar a Demonstração do Valor Adicionado?

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
DVA

ESTÁ SEM TEMPO? BAIXE AQUI O ARTIGO PARA LER DEPOIS

Você já sabe como fazer a DVA (Demonstração do Valor Adicionado) na empresa onde você trabalha ou para o cliente para quem você preste serviços?

A DVA, geralmente, desperta muitas dúvidas, mas ela é muito mais simples do que podemos imaginar, além de ser muito importante aprendermos como se elabora esse documento contábil tão rico de informações.

Inclusive, é de extrema necessidade fazer a leitura da Norma NBC TG 9 que trata da DVA. Além de ser um conteúdo de fácil entendimento, a própria Norma já traz um modelo da DVA para empresas industriais, comerciais e de serviços que você pode seguir. Então, preparados para entendermos melhor como elaborar a DVA? Vamos juntos?

DVA: É preciso demonstrar a riqueza gerada e como foi distribuída

A princípio, vamos pontuar que são as empresas S/A de capital aberto que precisam obrigatoriamente elaborar e apresentar a Demonstração do Valor Associado, conforme determina a Lei Federal 6.404/76.

Mas, como sempre reforçamos aqui, o Conselho Federal de Contabilidade encoraja todas as demais empresas a também fazerem e entregarem suas DVA’s por conta de este ser um documento contábil muito importante!

Vamos até dar um exemplo sobre este assunto. Uma empresa que elaborar essa Demonstração (DVA) consegue apresentar para um Município, onde pretende se instalar, quanto de riqueza poderá distribuir para a sociedade local e também no seu entorno.

DVA

E quanto mais ricas forem as informações que constem dessa DVA, mais argumentos a empresa têm para convencer o Município de permitir sua instalação na cidade e ainda conseguir alguns benefícios fiscais bastante significativos.

A DVA representa um dos elementos componentes do Balanço Social e tem por finalidade evidenciar a riqueza criada pela entidade e sua distribuição, durante determinado período.

A Demonstração do Valor Adicionado, que quase sempre apresentada juntamente como o Balanço Social da empresa, precisa trazer com detalhes mínimos como foi feita toda essa distribuição da riqueza criada pela empresa.

  •       Pessoal e Encargos
  •       Impostos, Taxas e Contribuições
  •       Juros e Aluguéis
  •       Juros sobre o Capital Próprio (JCP) e Dividendos
  •       Lucros Retidos/Prejuízos do Exercício

Ou seja, a DVA tem dois momentos: no primeiro, ela demonstra como toda essa riqueza foi gerada e, depois, no segundo momento, ela informa, detalhadamente, de qual forma essa riqueza foi distribuída.

E vamos lembrar sempre que é de extrema importância que o valor demonstrado na riqueza gerada seja idêntico ao valor que foi distribuído. Estes números e valores não podem, sob nenhuma hipótese, serem diferentes um do outro.

DVA: como elaborar uma Demonstração Comercial ou Industrial?

DVA

Já citamos nesse artigo que na própria Norma NBC TG 9 existe um modelo de DVA para ser copiado. As entidades mercantis (comerciais e industriais) e os prestadores de serviços devem utilizar o Modelo I aplicável às empresas em geral.

Enquanto que para outras atividades específicas, como instituições bancárias e de seguros, devem ser utilizados os Modelos Específicos: II e III, conforme constam na Norma.

Essa DVA apresenta o quanto a entidade agrega de valor aos insumos adquiridos de terceiros e que são vendidos ou consumidos, durante determinado período.

Vamos exemplificar a elaboração de uma DVA comercial ou industrial que são as mais comuns de serem realizadas na maioria das empresas e escritórios de contabilidade.

Embora saibamos que já existem sistemas que elaboram essas DVA’s é fundamental saber se estes sistemas estão mesmo, de fato, gerando a DVA de maneira correta. Portanto, não confie somente nas operações do sistema.

Na parte inicial de uma DVA vamos ter as Receitas dessa empresa e depois pontuamos outras informações que devem constar desta primeira parte da Demonstração do Valor Adicionado. Vejamos:

RECEITAS

(-) Insumos Adquiridos de Terceiros

(=) Valor Adicionado Bruto

(-) Depreciação, Amortização e Exaustão

(=) Valor Adicionado Líquido

(+) Valor Adicionado Recebido em Transferência

(=) Valor Adicionado Total a Distribuir

Ressaltando que a maioria das informações serão retiradas da DR (Demonstração de Resultados) referente ao exercício (ano). E na segunda parte da elaboração da DVA será demonstrada como foi distribuído todo aquele valor adicionado que pontuamos na primeira parte.

Distribuição do Valor Adicionado (DVA)

(-) Pessoal

(-) Impostos

(-) Remuneração de Capital de Terceiros

(-) Remuneração de Capitais Próprios

Se você gostou das informações até aqui, saiba que ainda temos muito mais para compartilhar com você sobre esse assunto!

Por isso, continue acompanhando nosso blog, porque, aqui, você encontra os mais diversos temas relacionados às Áreas Trabalhista, Contábil, de Recursos Humanos e de Saúde e Segurança do Trabalho.

E para você ter informações mais detalhadas sobre como elaborar a DVA – Demonstração do Valor Adicionado basta conferir a Live sobre este assunto clicando aqui.  Aproveite também e acesse o site da Nith Treinamentos e veja todos os cursos online que já temos disponíveis!

E, se você não quer perder nenhuma novidade da área, fique ligado também nas nossas redes sociais, pois sempre trazemos informações recentes sobre o que está acontecendo no nosso país, neste período de calamidade pública. Siga-nos no Facebook, no Instagram e se inscreva no canal da Nith Treinamentos, no Youtube

Receba conteúdos gratuitos e materiais exclusivos. Clique aqui e faça parte do Canal Oficial do Telegram, da Nith. No canal você terá acesso a aulas gratuitas, materiais para download, ebooks gratuitos, e grupo de discussão sobre Departamento Pessoal e eSocial!

 

 

Deixe um comentário