Como abordar suas falhas em uma entrevista de emprego

Uma cena da série “The Office” satiriza uma entrevista de emprego com perguntas e respostas perfeitas.

O gerente mais sem noção favorito da América, Michael Scott, é entrevistado por seu CFO (Chief Financial Officer) para uma promoção. Questionado sobre seus pontos fortes, ele responde: “Por que não digo quais são minhas maiores fraquezas? Eu trabalho muito, me preocupo demais e, às vezes, posso me dedicar além dos limites ao meu emprego”.

Intrigado com a resposta, o CFO rebateu com um “ok” e continuou: “E seus pontos fortes?”.

Certificacao Master Trabalhista

“Bem, minhas fraquezas são realmente minhas forças”, respondeu Michael Scott, sorrindo como se tivesse cogitado a pergunta enquanto seu CFO fazia uma careta, como quem acaba de cair em uma pegadinha.

Certificacao Master Trabalhista

Fazer o oposto do que Scott fez no episódio já é, por si só, um excelente conselho de carreira. Qualquer entrevistador que tenha ouvido uma resposta esperta como essa se encolheu ao assistir a cena.

Conselhos ruins são práticas comuns

Pare se você já ouviu isso antes. Quando perguntado sobre suas falhas ou fraquezas em uma entrevista, use-as como uma oportunidade para se vangloriar de uma grande qualidade.

Este conselho é terrível e a tentativa fica transparente para qualquer entrevistador experiente. Na esperança de mostrar sua ética de trabalho ou paixão, os candidatos esquivam-se para evitar responder a uma pergunta que temem.

Em uma pesquisa com 570 profissionais em início de carreira, o WayUp descobriu que as questões sobre fraquezas e falhas eram a segunda mais temida em entrevistas. Jovens recém-chegados ao mercado de trabalho assumem que este é um assunto capcioso, destinado a eliminar os candidatos mais fracos.

Esse equívoco deriva da falsa premissa de que aqueles que ousam falhar são fracos. É provável que o oposto seja mais verdadeiro. Aqueles que raramente falham passam suas carreiras na zona de conforto.

O que o entrevistador procura?

Seu entrevistador chegou à posição que ocupa assumindo riscos. Ele se aventurou a subir de cargo onde trabalha e, muitas vezes, falhou ao longo do caminho. Entretanto, estes profissionais entendem que o crescimento real ocorre quando alguém experimenta um revés e muda o comportamento como resultado.

Os entrevistadores buscam sugestões em suas respostas. Veja alguns exemplos a seguir:

1. Você é confiante o suficiente para compartilhar derrotas?

Os profissionais de alta performance enxergam o fracasso como um passo necessário ao longo do caminho para um sucesso maior. Os empreendedores podem abafar seus erros com muito mais êxitos, e não se sentem intimidados em falar abertamente sobre um tropeço.

2. Você é humilde o suficiente para avaliar honestamente seus contratempos?

O ego pode ser um fator limitante na carreira, já que você não será capaz de crescer se não puder admitir suas derrotas. Um estudo publicado no “Journal of Behavioral Decision Making” descobriu que as pessoas gastam 25% mais tempo empenhadas em uma solução depois de se concentrar em sua resposta emocional a uma falha inicial.

3. Você cresce com seus fracassos?

Ao fracassar, é normal ter a sensação de ter sido derrubado, mas a resposta é mais importante do que a queda. Ao saber que você passará por contratempos caso aceite o cargo, seu entrevistador quer saber a quantidade de resiliência que existe em você.

Concentre suas respostas no tipo certo de falha

Lembre-se de que você não é a única pessoa que erra. Quanto mais sucesso o seu entrevistador tiver, mais longa será a lista de fracassos que ele superou. Quando perguntado sobre essa questão, abrace-a com um pouco de humor. Eu gosto de dizer algo como: “Quanto tempo nós temos?”. Isso mostra ao seu entrevistador que você considera o fracasso como um caminho para o crescimento pessoal.

Um fracasso que prejudicará suas chances é o que envolve falta de esforço. Essa é uma das poucas variáveis ​​que podemos controlar na vida e pode estar presente em qualquer função. Se você falhou em um projeto porque escolheu não investir tempo, seu entrevistador não tem escolha a não ser imaginar o mesmo esforço seu no futuro. Todos nós ficamos aquém quando a falta de dedicação é a culpada. Esses não são os pontos que deveriam ser compartilhados em uma entrevista.

Veja três situações a seguir e defina qual delas se encaixa melhor a sua personalidade:

1. Falha de conhecimento: Você está à frente de um projeto que queria, mas que ainda não estava preparado para executar. Talvez tenha aceitado uma função de vendas depois de trabalhar em operações. Seus primeiros meses foram humilhantes, pois o trabalho duro não se traduziu em resultados. Mas sua resposta foi estudar os melhores funcionários do escritório, ler livros sobre vendas e ouvir podcasts relacionados ao assunto. Depois de um primeiro ano desafiador, no ano seguinte você conseguiu ficar entre os dez primeiros da empresa;

2. O fracasso do encaixe: Você sempre quis jogar no time de basquete do colégio, mas não tinha habilidade. Depois de ser cortado nos primeiros três anos, você finalmente conseguiu fazer parte da equipe. Embora não tenha jogado com frequência, ainda assim conseguiu o posto de capitão da equipe indicado por seus colegas. Você pode encontrar empecilhos semelhante em um ambiente de negócios no qual, inicialmente, fracassou em uma posição que não destacava seus pontos fortes, mas floresceu quando mudou de posto;

3. A falha de abordagem: Você trabalhou duro com resultados ruins até que um gerente ou mentor desse algum feedback direto sobre sua abordagem. Com essa avaliação pessoal, você conseguiu fazer mudanças radicais e viu seus resultados decolarem. Isso mostra ao seu futuro empregador que você responde bem a críticas construtivas, uma característica admirada por qualquer gerente.

Antes da sua entrevista, pense em vários exemplos. Muitos entrevistadores vão investigar as diferentes respostas a essa pergunta simples. Abrace seu fracasso com respostas honestas e confiantes. Deixe os outros candidatos se esquivarem ou caírem em suas próprias armadilhas.

Fonte: Forbes Uol

Publique seu artigo

Marileisa Gonçalves

Há 8 anos na área de departamento pessoal, atua como Analista de Conteúdo na Nith Treinamentos. Marileisa é Bacharel em Administração pela Univali e Especialista em eSocial pela Nith Treinamentos. Apaixonada por compartilhar conhecimentos e informações sobre a área trabalhista, dedica seu tempo em procurar o que há de mais novo para te entregar em primeira mão.

Deixe uma resposta

Fechar Menu