Receba nossas notícias em seu e-mail:

Auxílio emergencial: Governo vai pagar por mais dois meses

Compartilhe essa notícia

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

ESTÁ SEM TEMPO? BAIXE AQUI O ARTIGO PARA LER DEPOIS

O Governo Federal anunciou essa semana o pagamento de mais duas parcelas do auxílio emergencial no valor de R$ 600,00, sendo que a 4ª parcela será paga neste mês de junho e a 5ª em julho. As pessoas que recebem o valor do auxílio dobrado, ou seja, R$ 1.200 também receberá mais duas parcelas no mesmo valor.

auxílio emergencial

O anúncio da prorrogação do benefício foi anunciado no último dia 30 de junho pelo presidente Jair Bolsonaro. Vale lembrar que, a princípio, seriam apenas o pagamento de três parcelas de R$ 600,00, mas com a pandemia do coronavírus que parece estar longe de terminar, o governo decidiu estender a ajuda financeira.

Calendário de pagamentos

O Ministério da Cidadania ainda não definiu um calendário para o pagamento das duas próximas parcelas, mas garantiu que será realizado seguindo os mesmos critérios e formas de pagamentos das parcelas anteriores.

O Ministério afirmou ainda que não haverá alteração no pagamento para os beneficiários do Bolsa Família, que possuem um cronograma de pagamento diferente.

Auxílio emergencial: quem tem direito?

auxílio emergencial

O benefício é destinado aos cidadãos maiores de 18 anos, ou mãe com menos de 18, que atenda m aos seguintes critérios:

  • Pertença a família cuja renda mensal por pessoa não ultrapasse meio salário mínimo (R$ 522,50), ou cuja renda familiar total seja de até três salários mínimos (R$ 3.135,00);
  • Que não esteja recebendo benefício previdenciário ou assistencial, seguro-desemprego ou outro programa de transferência de renda federal, exceto o Bolsa Família;
  • Que não tenha recebido em 2018 rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70;
  • Esteja desempregado ou exerça atividade na condição de: Microempreendedor individual (MEI);
  • Contribuinte individual dada Previdência Social;
  • Trabalhador informal, de qualquer natureza, inclusive o intermitente inativo.

Cidadão que não tem direito não tem direito ao auxílio emergencial?

  • Pertence à família com renda superior a três salários mínimos (R$ 3.135,00) ou cuja renda mensal por pessoa da família seja maior que meio salário mínimo (R$ 522,50);
  • Tem emprego formal;
  • Está recebendo seguro desemprego;
  • Está recebendo benefícios previdenciários, assistenciais ou benefício de transferência de renda federal, com exceção do Bolsa Família;
  • Recebeu rendimentos tributáveis acima do teto de R$ 28.559.70 em 2018, de acordo com declaração do Imposto de Renda

Pagamentos na ordem de R$ 103,8 bilhões

Rescisões trabalhistas

Até o momento, o Governo Federal fez o pagamento do auxílio emergencial os valores de R$ 103,8 bilhões para 64,5 milhões de trabalhadores, que incluem autônomos, informais, inscritos no Cadastro Único e Bolsa Família.

Vale lembrar que o auxílio emergencial foi criado em abril para auxiliar trabalhadores sem carteira assinada, autônomos, MEIs e desempregados durante o estado de calamidade pública por conta da pandemia do coronavírus.

Gostou deste artigo?

Então, não deixe de nos acompanhar por aqui, pois trazemos sempre novidades, dicas, tendências e os últimos acontecimentos do segmento.

Aproveite também e conheça o site da Nith Treinamentos e todos os nossos cursos online. Siga-nos também no Facebook, no Instagram e se inscreva no canal da Nith Treinamentos, no Youtube.

Domine DP e eSocial de maneira definitiva e transforme desafios em oportunidades em 2020! Inscreva-se agora na Primeira Turma do Curso Online Formação de Especialista em DP e Social, Cresça na Carreira e crie Novas Fontes de Renda usando o seu conhecimento. Clique aqui e garanta sua vaga!

 

Deixe um comentário